Jay-Z lança “Magna Carta Holy Grail” nesta quarta (04/07); um resumo da saga

feat

Fama e dinheiro garantem a Jay-Z outro tipo de ostentação. Ele pode brincar como quiser no lançamento de seu novo álbum, “Magna Carta Holy Grail.” Patrocinado pela Samsung, “Magna Carta…” chegará primeiro aos smartphones fabricados pela patrocinadora através deu um aplicativo especial. A data de lançamento, 04 de julho, uma quinta-feira, está bem longe dos padrões da nova indústria guiada pelo iTunes. Na loja da Apple, conteúdo novo só entre às terças.

Montar a estratégia com uma moda diferente foi um dos naipes encontrados pelo rapper para vender melhor o seu. Neste breve 2013, David Bowie subverteu tacando “The Next Day” na cara dos fãs a partir do silêncio; e o Daft Punk arrumou uma pauta em todas as editorias de música do mundo com um fragmento de 10 segundos de “Get Lucky” (que, no final, nem era tão diferente da versão definitiva). Os robôs e Bowie estrearam seus álbum no mesmo pré-streaming do iTunes. Jay-Z foi pra concorrência firmando contrato com a Samsung. Uma lembrança boa de que diferentes modelos são palpáveis dentro da mesma lógica comercial.

O cara anunciou num comercial durante a final da NBA a data de lançamento,  e prometeu jogar para a galera assim que estivesse pronto. O vídeo dedou participações de Pharrell, Timbaland, Swizz Beatz, e o barbudo Rick Rubin (efetivamente ele não participa do álbum). Através do aplicativo, ele alimentou a expectativa dos fãs com letras das músicas e nomes de colaboradores. Nessas, foi descoberto que o “Holy Grail” do título tem participação de Justin Timberlake e faz referência à letra de “Smells Like Teen Spirit” do Nirvana. A faixa “Heaven” chama o clássico do R.E.M. “Losing My Religion” nos versos “That’s me in the corner/ That’s me in the spotlight/ Losing my religion.”

Ele ainda emenda mais uma parceria com Frank Ocean em “Oceans”. Emplacou o nome do parceiro no título e puxou um debate sobre o que anda em jogo no hip-hop hoje. Beyoncé, a dama, reina ao lado de Jay-Z na música “Part II (On The Run).” E numa das últimas peças a ser divulgada até agora, “BBC” emplaca o maior número de featurings com Bey, JT, Nas, Pharrell, Timbaland, e Swizz Beatz.

No fim, isso vira no máximo alguns parágrafos no encarte da futura reedição especial. Precisa antes valer a reprensagem. As dicas até a véspera inflam o ego e levantam a bola para os afagos do hype. A partir de agora é dever dele não transformar a expectativa em pedras na mão.