Forró da Curtição | Vai No Cavalinho

forro-da-curticao-vai-no-cavalinho-300-2

“Vai No Cavalinho” e “Bum Bum na Água” (do MC Dede, com quase três milhões de exibições – e sem clipe! ouça aqui) devem mesmo ser alguns dos hits do verão/carnaval de 2013. Mesmo não superando a qualidade de “Inventando Moda”, do Magary Lord (ouça aqui), são amostras da superação do modelo radiofônico que o sudeste ainda insiste em vender nas rádios do Rio de Janeiro e de São Paulo; é bom lembrar que o sucesso do Naldo é um repeteco de tudo o que já vimos antes dos anos 2000 nas rádios cariocas (de Latino a Claudinho e Buchecha, passando por Pepê e Neném e Maurício Manieri). E é bom lembrar também de que tudo o que toca nos porta-malas de Rio e São Paulo NÃO tocam nas rádios populares (com exceção de “Amor de Chocolate”, do próprio Naldo).

Em “Vai No Cavalinho”, a irresistível metaleira que sucede a manjada introdução (sempre mais lenta e para apresentar a letra da canção) é pra colocar o corpo em piloto automático. E são os caprichos musicais que diferenciam o cavalinho da música que citei no início do texto, da lavra do “funk ostentação”. Além disso, com Jorge & Mateus (a melhor dupla do sertanejo universitário) fora do circuito de gravações inéditas, o pagodão baiano e o forró assumem as possibilidades de algum sucesso mais interessante nos altos-falantes nordeste acima. Que um dia isso toque sem parar no sudeste.

¹”Vai no Cavalinho” tem duas versões tão sensacionais quanto a original, cantada por Iohannes Cavalcanti, do grupo Forró da Curtição. A primeira, um quase pagodub feito por Gasparzinho “O Violeira da Maldade”:

²A segunda, uma quase pagodão baiano feito pelo Trio da Huanna com a participação do próprio Iohannes:

³ A versão do Gasparzinho viralizou-se por meio desse vídeo no qual dois, er, entusiasmados transeuntes resolvem da melhor maneira acabar com a dúvida se a música é ou não é boa.

  • marcio

    que o sudeste continue sem essas pragas que aterrorizam o meu nordeste!!!!