Rodrigo Campos | General Geral

rodrigo-campos-general

Rodrigo Campos

General Geral

[YB Music; 2012]

8FITA RECOMENDA

ENCONTRE: Soundcloud

por Matheus Vinhal; 10/03/2012

Ele não pode evitar, muito menos eu posso, tampouco mesmo o leitor, o ouvinte, poderia: Rodrigo Campos soa fino, soa cool. Nesses tempos em que tais adjetivos já ultrapassaram o ponto mais alto da curva de aceitação social, talvez a frase soe – para alguns – errada. Mas isso é um elogio, amigos. É sempre bom deixar as coisas bem claras na internet.

Com General Geral, a primeira faixa finalizada de Bahia Fantástica a dar as caras, Rodrigo Campos mantém o interesse pelo lançamento do seu disco, pois confirma as expectativas de antes e acrescenta ainda uma nova camada de interesses. Dentre as expectativas de antes estão: a tranquilidade de uma boa composição, a voz leve e correta de Rodrigo, uma temática relacionada ao mar e com imagens do Brasil. Dentre as novidades: de cara, a extensão da música e, em especial, os efeitos de Thiago França quando fora do saxofone. Pode parecer pouco, mas essas duas novas no trabalho de Campos poderiam mudar completamente a maneira como soa sua música, no estilo ou até mesmo na sensação que o ouvinte tem ao ouvi-la. Felizmente, pouco ou nada mudou: Rodrigo Campos conseguiu acrescentar novos elementos sem modificar sua música.

Ao longo dos seus 7 minutos de duração, General Geral parece ser uma espécie de panorama de Bahia Fantástica. Transparecendo uma calma que evidencia a confiança em seu trabalho, Campos soa completamente seguro de si e de sua música. É com esse sentido que digo que Campos soa cool, soa fino. Nada em seu som é forçado, afetado. Seja nos temas de suas letras, no andamento calmo mas desperto de toda a canção ou na sua voz sussurrada, Rodrigo nos leva pelo caminho desses sete minutos de música com cuidado e segurança, como se fosse ele mesmo uma imagem do próprio “capitão general sem porquê” de quem a canção fala (coisa que a imagem de divulgação de seu disco não quer desmentir). Como um Paulinho da Viola da atual geração, Campos soa como se não precisasse provar nada a ninguém e como se estivesse acima das atuais discussões sobre a música brasileira.

Ainda falta material suficiente pra saber por que e exatamente como Rodrigo Campos consegue que sua música se coloque acima desse mar que não está pra peixe que é a música brasileira. Mas General Geral já consegue dar uma pequena ideia.