Sorriso Maroto | Assim Você Mata O Papai

sorriso-maroto-papai

Sorriso Maroto

Assim Você Mata o Papai

[Deckdisc; 2011]

5

ENCONTRE: iTunes

por Yuri de Castro; 11/05/2012

Avenida Brasil, novela da Globo, tem em seu personagem Tufão sua imagem e semelhança: pode até ter treinado para cumprir com sua finalidade, mas não engana ninguém. No entanto, vamos deixar claro: eu não sou o Maurício Stycer e isso aqui não é crítica de televisão. Estamos aqui para falar de um hit de 2011 que foi resgatado para 2012 pelo — como costumam dizer os estudantes de universidades federais — folhetim global.

Esse texto é sobre “Assim você mata o papai”, do grupo mais 2001 da segunda década do século XXI: o Sorriso Maroto. E este single está longe da genialidade pastiche de “Pra Mim Não É”.

O ouvinte mais treinado não cai na onda desse grupo; mas o ouvinte mais treinado não pega mulher. Então vamos pro jogo que vale: a música é inevitavelmente filha de “Já Que Tá Gostoso Deixa (Mata o Papai)”, obra-prima do pipoqueiro Leandro Lehart. É uma filha do mesmo sangue, mas é aquela caçula que você já não se importa muito sobre o namoro: tanto faz o Zezinho da padaria ou com o João Henrique Pinto da engenharia. Mas é filha e, na divisão do lucro, isso é o que importa.

Sendo assim, “Assim você mata o papai” vem de um DVD muito do chinfrim (gravado em Recife) que gerou singles embebecidos em plugins que acrescentam gritaria feminina no meio da música. Mais do que isso, é uma punhalada comercial na obra chorosa da banda que vinha evocando uma onda retrô-00 com eficácia nas rádios brasileiras, seja com “Sinais”, seja com “Clichê”, seja com “Quem Tá Solteiro Nunca Fica Só”, todas entoadas por nosso Bruno Mars brasileiro, Bruno Cardoso.

De qualquer maneira, é a banda de pagode mais popular do momento – e esse momento já dura mais de dois anos. Paga jabá? Paga. Mesmo assim, todo mundo sabe, música ruim paga jabá e se não for boa para o insconciente popular vai pra lona no primeiro soco.

Mas o que pouca gente ainda saca na música verdadeiramente – e falsa ao mesmo tempo – popular brasileira é que música que dá dinheiro precisa servir para azarar. A rejeição a Victor & Léo na opinião popular mais roots da pegação origina-se do RPM de suas canções: é lento, romântico demais – ainda que seja a dupla mais sofisticada do gênero. E isso explicará o futuro fracasso radiofônico de todos os singles indies que estão na novela que passa antes do Jornal Nacional.

Voltando ao assunto, “Assim Você Mata o Papai” é o que de pior o pagode podia ter gerado em 2011 depois do sucesso paulista do grupo Turma do Pagode. Mas contou com os ventos da sorte em ter no refrão o mesmo verbo repetido na canção teloniana – e foi gravada bem antes de “Ai, Se Eu Te Pego”. A utilidade pública de “Assim Você Mata o Papai” é que afasta cada vez mais o pagode ruim carioca do pagode ruim paulista. Eu não sei se isso é bom. Mas pelo menos a gente finge com mais eficácia que Jeito Moleque não existe.

  • Raony Lima

    OI??????

  • Haha

    Oi, Raony