14 anos separam as duas versões de “Bulawayo”, faixa lançada pelo Hurtmold originalmente em “Cozido” de 2002, que agora reaparece em “Curado”, disco em que a banda paulistana recebe o percussionista Paulo Santos, do Uakti.

Como o paralelismo do título dos dois álbuns, a regravação é signo do retorno que “Curado” marca para o Hurtmold. Reconstruída a partir de uma introdução em que o único som é o tintilar espaçado da percussão de Paulo Santos, a “Bulawayo” de 2016 é como um “sonho de lembrança”: uma volta inconsiente e quase fantasmagórica à bela melodia de 2002, despida aqui do ruído concreto, cinza, bruto e paulistano do arranjo original.

Enquanto a “Bulawayo” de 2002 era o primeiro indício da mudança pela qual passaria o Hurtmold – da retidão post-hardcore cerebral à liberdade de improviso e colaboração do jazz – a “Bulawayo” de hoje é retomada de uma certa clareza melódica dos primeiros discos do grupo, que se encontra aqui com o vigor rítmico do período pós-“Mestro”.

Hurtmold – “Bulawayo” (2002)

Próximo post »
« Último post