MC Dede | Linda Menina post image
MC Dede
Linda Menina
Independente; 2013
7.0

MC Dede (lê-se “dedê” e não “dedé”) está de música e clipe novo. Música e clipe são lançados a todo tempo. Mas, no funk, isso tem um valor imenso. Em primeiro lugar, porque a filmografia do gênero é recente e seu expoente mais novo são os clipes (e uma linguagem própria) que Konrad Dantas, o KondZilla, espalhou a partir de “Bonde da Juju” (dos MCs Bio G3 e Backdi) e “Megane” (do MC Boy do Charmes). Em segundo, porque lançar um clipe no funk significa lançar um hit. Lembre-se: o funk não toca nas rádios populares como toca nos alto-falantes do carros na rua. O funk depende do YouTube, do 4shared; não das rádios. E, seja no Rio ou em São Paulo, são poucos os artistas do gênero que emplacam mais de um hit. MC Dede é um deles. Aliás, Dede lança música pra dedéu.

Nós resenhamos (leia aqui) “Role de Hayabusa” em 2012 e, de lá pra cá, veio “Socialite”, “As Mina do Camarote” e, claro, o hit absoluto do início de 2013, “Bumbum na Água”. Mas quem ganhou clipe foi “Linda Menina”. Tal como em “Role de Hayabusa”, o menino de Cidade Tiradentes aproveita o gingado a mais que possui e tenta soltar a voz ao invés de ficar preso em um rap meio estranho que os MCs paulistas tentam evocar, numa indecisão tremenda entre o funk e o rap. E se “Linda Menina” está longe de ser um hit escancarado como “Bumbum na Água” é, porém, um passo muito maneiro na carreira de Dede.

Produzida por Carlos Nunes (e não pelo fiel escudeiro de Dede, o DJ Bruninho FZR) e entre o melody e o pancadão, a faixa faz menção a outras do MC (“absurdo” e “se divertir”, por exemplo, de “Role…”), usa a gíria característica de Dede (o irresistível “suave bright”), é relaxada e ultrapassa um tiquinho a barreira do que se consolidou como inconsciente coletivo no gênero de 2011 pra cá. Apesar da letra, a mixagem de “Linda Menina” está longe de ser ingênua — e longe de ser pop-chato como MC Leozinho, tampouco hit óbvio como algo recente do Naldo, experimentando aí um certo meio-termo que pode abrir algum caminho pra Dede. Claro, não é uma revolução no gênero (aliás, tá na hora); mas “Linda Menina” já é uma das grandes músicas do funk e também do pop em 2013. Pra tocar nas rádios, inclusive (já que as rádios populares morrem de medo de qualquer funk que seja um pouco mais ousado na abordagem sexual).